segunda-feira, 4 de agosto de 2014

sábado, 2 de agosto de 2014





Hoje procurei a poesia, que se escondia
Seqüestrei o tempo na intimidade
Instalei armadilhas de rimas
Percorri a memória em outra dimensão 
Ao encalce da temporalidade
Mas a poesia é danada. Só aparece quando quer!
Se me sonda e não anoto, 
Aproveita a maré, sobe na onda
Some de vez!
A causa dessa fuga seria meus bons momentos de agora?
Há...  A poesia só me ronda  nas fases
Dos meus tormentos!
Aí sim ela vem de mansinho, aparece com versos 
Chora comigo na cumplicidade das mágoas
Das minhas dores da alma! E me acalma!
Acabei de descobrir. Deu-me um insight!!!!!!
A poesia é meu anjo da guarda
Nas horas do meu lazer ela corre se esconder!
Por isso que é inútil procurá-la nesta hora.
Agora... Estou tão bem!