quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Cenário> Feira de artes e artesanato do Centro de convivência> Artista Plástica Dalva Saudo> Agradecimentos à Escritora Rosana Cappi


A Estrela de Sombrinha de Bolinhas

Ah! Querida amiga estrela Dalva 
Teu brilho se destaca em plena luz do dia!!!
Que bom ver sua postura de menina  brincalhona
Seja vestida de palhaço
Ou segurando uma charmosa sombrinha de bolinhas 
Fazendo uma bela pose
E mandando beijoquinhas.

Mais alegre ficou o Centro de Convivência
Com a extrovertida  presença 
Da artista plástica e poetisa
Quem não a conhece, pensa que satiriza
Mas que nada, sua maneira divertida 
É para nos acordar para as belezas e cores da vida.   

Com carinho
Rosana Montero Cappi


sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Fragmentos poéticos de Eunice R Pontes


Rosa, formosa, de todos os matizes,
felizes os que sabem apreciar tua beleza.
Rosa de um suave cor-de-rosa;
rosa do mais profundo carmim.
  
Ó mar, tantas vezes plácido,
és agora triste mar de plástico...
Plástico em forma de garrafas,
de sacolas, de tantos outros objetos.
 
Momento de felicidade, todo meu ser invade;
momento de fúria, quanta penúria!
Momento de tranquilidade, que felicidade!
Momento de paz, minha vida apraz;
momento de emoção, toca meu coração.
  
Saudade, triste lamento 
de quem ficou só, no pensamento.
Ansiedade, a alma invade,
tranforma-se em tormento.
 
Faíscas de pura e eterna paixão
estilhaçam meu coração,
passam, ocupam todo o espaço,
ferem como o duro e frio aço...
  
Momento de tormento, traz muito sofrimento;
momento de alegria, é repleto de fantasia;
momento de tristeza, quanta dureza!
Momento de prazer, preenche meu ser;
momento de calma, alegra minh'alma.
 
Amor, doce e suave canção,
tornas-te amarga ilusão; turvas 
toda visão daquele que em ti se
perde e se encontra sem razão.
 
Faíscas de pura e eterna paixão
tremulam, criam labaredas que
incendeiam meu coração,
pululam com muita emoção.
 
A lua, num doce fomento
acalanta o sonho que não vingou.
tua imagem, feito miragem,
momento risonho recriou.
 
   Eunice Rodrigues de Pontes

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Antenor Rosalino > Quando eu partir...

Quando eu partir...


Um dia virá em que estarei ausente.
Por um momento apenas penumbras tristes
como um dossel a flutuar pelos ares
envolverá o teu corpo, até que o teu pensar
confrontará com a dura realidade
da ausência funesta e insólita de quem
amou-te antes mesmo e além do próprio amor!

Recordarás do passado em que o meu coração
pulsava em sintonia com os meus passos
procurando em ti razões e respostas
para um amor que me fez esquecer de mim,
para viver apenas por ti!...

A lembrança das carícias e até do ciúme
justificado por te amar tanto,
fará escorrer e transpassará as tuas vísceras,
e estarei presente em cada momento
do céu estrelado das tuas noites vazias.

Vez por outra, as mesmas palavras de amor
que incansavelmente eu proferia,
ouvirás em sussurros e lampejos,
no ritmo da brisa calma que te alisa
e sentirás os mesmos afagos segredados
na lascívia única que nunca será superada
.

Augusta Schimidt > O paassado e o presente



O passado e o presente
Poeta e Professora Augusta Schimidt
Obra de Arte de Lélio Coluccini 

A tarde é serena
E a senhora tristonha
Caminha oscilante
Entre plantas, esculturas,
Sepulturas...

No campo santo,
Enquanto engole o pranto
Transpira querência
E confere com o olho
Quem lhe venha consolar

Implora por coragem
Aquela que já foi forte
Pra vida e pra morte

Seus mortos são vivos
Permanecem cativos
No seu querer bem

Então faz uma prece
Que o coração agradece
Buscando no ausente
O passado e o presente.